30/04/2018

No 25 de Abril 2018, a nossa mais concorrida caminhada de sempre. 102 participantes !

Prevista para as comemorações do 25 de Abril, no Vale de Santarém, promovidas pela Junta de Freguesia, a caminhada organizada pelo Movimento Ecologista do Vale de Santarém excedeu todas as expectativas: em número de participantes, em alegria e confraternização e em avaliação, por parte dos que nela estiveram.

Aliás, a partida, que se deu só por volta das 9H25, do jardim público do Vale, e que estava anunciada para as 9 horas, foi sendo atrasada porque iam chegando pessoas a inscrever, em última hora. Mas valeu a pena atender todas essas inscrições, pois assim também puderam beneficiar do percurso que havíamos escolhido, o qual continha mediana dificuldade, ao longo dos quase 10km, tendo uma parte sido em ambiente de floresta, na zona do Ripilau.

Assim, conforme se pode ver no vídeo, saindo-se do jardim do Vale, pela rua do Açude, em direcção ao Pombal, foi possível todos verem o estado de limpeza e recuperação que já se começa a notar no ponto chamado de rio da Quinta, a qual o Movimento Ecologista defendeu e nela também colabora. A seguir, no Pombal, virámos à direita para o Rio das Patas, com continuação até chegarmos à rua das Catrinas, para onde virámos, entrando nos Marecos.

Foi aí, nos Marecos, que se fez o previsto reabastecimento, no ponto combinado em que o Miguel Centeno, acompanhado pelo Ernesto Vindima, aguardavam os caminheiros, no grupo dos quais também se contavam alguns cães. 

Foi também nessa paragem, para beber água, comer fruta e umas bolachinhas sem sal, que se fez o sorteio que estava anunciado. Coube a sorte ao nº 14, que, pela ordem das inscrições, foi o Carlos Heitor. Ali mesmo lhe foi entregue o prémio, um livro, com o título de "Histórias do Tejo", muito oportuno, por duas razões principais: o Carlos é pescador e amante da natureza; o livro é sobre um dos rios que em Portugal, nos últimos anos, mais tem evidenciado casos concretos de poluição, como é sabido. 

Saindo dali, rumámos ao Ripilau, uma zona onde, antigamente, existia grande pinhal, de pinheiros mansos e bravos, e hoje, em grande parte, vem sendo usado para eucaliptal. Foi nesse caminho que encontrámos o que resta de uma quinta, que terá tido instalações de muito interesse e, também, um lagar de azeite, mas agora tudo em ruínas.

Continuando, andámos perto da zona conhecida como Vale de Algares, em território que também pertence à vizinha freguesia de Vila Chã de Ourique, derivando em seguida para a zona do antigamente chamado pinhal do Pina, do qual saímos para a Estrada Real, em direcção ao espaço das comemorações, ou seja, o jardim público, enquanto alguns aproveitaram para ir até casa, para o banho e o almoço, após a confraternização e exigência física da caminhada.

Como tínhamos cerca de 40 inscrições para o almoço, foi só aguardarmos até às 13 horas, pois o Carlos Vieira e a sua equipa (Mário Oliveira, Joca Calheiros e ainda com a colaboração de Rui Matos e Diogo) haviam estado a assar as febras e a preparar a salada, as mesas, etc., para que o Movimento Ecologista prestasse o melhor repasto aos inscritos. Assim foi, e até ouvimos elogios, logo ali, o que sabe sempre bem e se agradece.

Em termos técnicos:
  • A escolha e reconhecimento do percurso esteve a cargo de Alfredo Lobato e Francisco Ferreira, do Movimento Ecologista.

  • A coordenação da caminhada, ao longo do percurso, coube a Alfredo Lobato, Francisco Ferreira, Manuel João Sá e Virgílio Pereira, do Movimento Ecologista.

  • O reabastecimento e apoio durante toda a caminhada teve a colaboração de Miguel Centeno, acompanhado de Ernesto Vindima. Nossos agradecimentos aos dois.

  • O cozinheiro, como já dito, foi Carlos Vieira, com a ajuda de Mário Oliveira e Joca (os três são do Movimento Ecologista) e ainda as colaborações citadas, de Rui Matos e Diogo, que igualmente agradecemos.


Resta dizer que foram publicadas muitas fotos no facebook, pelos participantes.

E, ainda, que o vídeo realizado por nós, sobre a caminhada, está em

https://youtu.be/HgG9fwHNNy4


e, para o mesmo, com filmes e edição de Manuel João Sá, ainda contámos com um take de Carlos Jorge Pereira, com o nosso obrigado.


Por fim, havendo-nos sido sugerido, nesta como em anteriores edições, a realização de mais caminhadas, informamos que assim será. A primeira será já neste mês de Maio, em data a anunciar, muito em breve.


Saudações ecologistas,


A Coordenação


Alfredo Lobato, Carlos Vieira, Francisco Ferreira, Joca Calheiros, Manuel João Sá, Pedro Adriano, Virgílio Pereira. 

Sem comentários:

Enviar um comentário