09/02/2017

Rio Tejo está um esgoto: um crime contra a natureza e a saúde de todos, autorizado, desde há anos

Apesar das denúncias permanentes, ao longo dos últimos anos; depois de audições na Assembleia da República; depois de promessas de autarcas, de ministros e de órgãos administrativos e outros, a vergonhosa actividade dos poluidores continua. Não se vê a mínima mudança, e até parece que, se alguma coisa mudou, foi no sentido do aumento e da diversificação da poluição.

Estando mais em evidência no próprio leito do Tejo, a poluição acontece em muitas ribeiras e rios seus afluentes.

É preciso um grande movimento de protesto, não só local, mas, no mínimo, regional. É que toda a bacia hidrográfica do Tejo está sujeita a este crime, que mata tudo o que vive no rio, e que contribuirá para doenças pois, com a água do Tejo e dos seus afluentes, os agricultores têm de regar as suas produções, por não terem outra água para o poder fazer. Ora, com os detritos que são lançados nas águas, vindas de indústrias, suinicultoras e esgotos urbanos, não poderá haver dúvidas de que, tal como estão, as águas da bacia hidrográfica do Tejo são um perigo para a saúde pública.

Neste sentido, o Movimento Ecologista do Vale de Santarém sugere que os cidadãos acompanhem as informações que vão sendo divulgadas sobre este grave problema, dada a sua importância para a nossa região. Trata-se de uma situação nunca vista no nosso grande rio e seus afluentes.

Estando englobados no proTEJO-Movimento pelo Tejo, desejamos que, a este nível, que envolve muitas organizações ambientalistas e cidadãos, sejam tomadas iniciativas de grande amplitude e perseverança, que exijam medidas concretas aos poderes públicos, pois a situação é insustentável. Uma manifestação, em perspectiva, em Março, e para data e local a anunciar, é uma das acções que apoiamos, e na qual participaremos.

O filme que aqui divulgamos, feito pelo nosso Amigo Arlindo Consolado Marques, um dos incansáveis lutadores contra esta brutal calamidade, dá uma imagem clara da poluição que se vive no Tejo.


A Coordenação do MEVS.


  

Sem comentários:

Enviar um comentário