16/02/2015

LANÇAMENTO DO MOVIMENTO SALVEMOS O PINHEIRO DAS AREIAS!

ESTÁ EM PERIGO O PINHEIRO DAS AREIAS, ÁRVORE MONUMENTAL, CLASSIFICADA DE INTERESSE PÚBLICO.


O Pinheiro das Areias é uma árvore de grande porte, que existe no Vale de Santarém. Faz parte da história da nossa vila e está na memória colectiva da nossa população, pois poderá ter quase trezentos anos. 

Já nos referimos aqui, algumas vezes, ao nosso Pinheiro das Areias. Está nas nossas preocupações e é, para os Vale-Santarenos, mais uma razão de tristeza, cuja solução não querem ver adiada. Se o Pinheiro das Areias está a degradar-se, dia a dia, temos de salvá-lo, unindo-nos nesse sentido.

O que o Pinheiro das Areias - Vale de Santarém - já foi,
há décadas.
O que o Pinheiro das Areias - Vale de Santarém - é hoje,
em 2015.
Expostas, as raízes do Pinheiro das Areias - Vale de Santarém -
são sintoma de futuro muito difícil,
se não forem tomadas medidas


Foi por estas razões que o Movimento Ecologista do Vale de Santarém lançou o movimento cívico SALVEMOS O PINHEIRO DAS AREIAS! Ao fazê-lo, cumpre o seu dever e exorta os Vale-Santarenos, assim como todos os nossos Amigos e todos os que queiram associar-se a esta causa, a tomar parte neste objectivo.

O Movimento foi lançado na nossa página no facebook e conta já com mais de 350 apoiantes.

Ao divulgarmos agora esta iniciativa no nosso blog queremos chegar a outras pessoas, que não estão no facebook.

Em breve vamos divulgar outras formas de dar a conhecer esta acção para salvar o Pinheiro das Areias, recolhendo também desse modo mais apoios neste sentido.

Queremos que as entidades que têm alguma relação com o assunto, tomem medidas efectivas para salvar o Pinheiro das Areias. 

Sabemos que o problema não é novo para tais entidades, pois já foi objecto de tomadas de posição, a última das quais terá sido no âmbito da Assembleia de Freguesia do Vale de Santarém, em 2012, como se pode ler no texto a seguir, que nos foi enviado pelo nosso Amigo Arménio Francisca Gomes, autor do documento:


"A 21 de Maio de 1992, sendo Primeiro-Ministro de Portugal o Prof. Aníbal Cavaco Silva, foi publicado no Diário do Governo a classificação do Pinheiro das Areias como árvore de interesse público.

O Pinheiro das Areias, no Vale de Santarém, com mais de 200 anos, é uma das duas árvores classificadas do concelho de Santarém. Trata-se do pinheiro manso com maior perímetro de base medido em Portugal (perto de oito metros) que, sem outros pinheiros à sua volta, atingiu uma envergadura enorme, com um tronco que é, pelo que se conhece, único em Portugal.

Consideradas “património de elevadíssimo valor ecológico, paisagístico, cultural e histórico” as árvores de Interesse Público têm um estatuto de proteção idêntico ao do património edificado classificado. Beneficiam de uma zona de proteção de 50 metros em redor da sua base, sendo qualquer intervenção na área envolvente ou nelas próprias, condicionada a parecer da ICNF. “Toda a árvore de interesse público não poderá ser cortada ou desramada sem autorização prévia da Autoridade Florestal Nacional, sendo todos os trabalhos efetuados sob sua orientação técnica”, segundo se lê na página online do ICNF.

A árvore encontra-se em situação de perigo devido, não só à erosão natural das terras envolventes, mas também àquela que decorre da movimentação de pessoas que habitam em barracas no terreno envolvente e se encontram em situação social altamente degradante.

Em Março de 2011, o atual Presidente da Câmara Municipal, Ricardo Gonçalves, então vereador com o pelouro das Freguesias, em entrevista ao Correio do Ribatejo, assegurou que o assunto não estaria esquecido. Encontrando-se já concluído o estudo para a drenagem do terreno e, em breve, estaria terminado o projeto respeitante ao muro de sustentação das terras, pelo que, dentro de alguns meses, seria possível avançar com a obra, segundo informou o vereador. Volvido mais de um ano, a situação apenas se agravou e a prometida intervenção não saiu do papel.

Assim sendo, vem a Assembleia de Freguesia do Vale de Santarém propor que o atual executivo camarário envide esforços para que este assunto não fique no esquecimento e que as ações já projetadas passem definitivamente à prática, o mais rápido possível, devido ao risco eminente de se perder este rico património da nossa Vila, do concelho e
do País.".

Portanto, concluímos: três anos depois, nada foi feito. Ou seja, o Pinheiro das Areias não mereceu a atenção de quem devia e, por isso, continua a sua degradação. Os Vale-Santarenos, e outros que queiram associar-se, têm uma palavra a dizer. Nós vamos contribuir para que assim seja. É que é imperioso SALVAR O PINHEIRO DAS AREIAS.



A Coordenação

Sem comentários:

Enviar um comentário