05/05/2017

VAMOS LIMPAR O "RIO DA QUINTA", NO VALE DE SANTARÉM

"RIO DA QUINTA", NO VALE DE SANTARÉM. O QUE É?

No Vale de Santarém, mesmo para os mais novos, a esta pergunta todos sabem dar uma resposta. Pelo menos, sabem dizer onde fica. O chamado "rio da quinta", designação que lhe foi sendo dada pelo povo e que ficou até hoje, é o local que fica junto à antiga Quinta do Desembargador, mais conhecida por Quinta das Rebellas, e onde muitas mulheres do Vale iam lavar roupa, usando para isso, além do sabão azul e branco, ou outro, também, por vezes, o cloreto. A roupa, depois de ensaboada, esfregada e batida contra a "pedra de lavar", talvez novamente ensaboada, esfregada e batida na mesma pedra (uma pedra de calcário, normalmente "arranjada", isto é, obtida, pelo marido) ia a enxugar, ali ao pé, ou era levada para casa, em alguidares, de barro esmaltado, mais tarde de zinco, ou já de plástico, para ser estendida a secar, nos quintais. 

Ora, este local por onde passa um ribeiro, o "rio da quinta", era um dos que mais mulheres usavam, ao longo do ano, para lavarem a roupa. Não só era local para aquela função, mas acessoriamente satisfazia outra necessidade: a do contacto entre as mulheres, juntando-as em conversas da sua vida, da vida da aldeia, inclusive proporcionando o diz-se diz-se próprio do viver em comunidade. 

Este rio que atravessa o Vale de Santarém, tem sido, ao longo de gerações, uma verdadeira riqueza para a terra. Na verdade, muito, muito antes de o Vale de Santarém existir, como povoado, ainda com outros nomes ("Vale de Soeiro Tição" foi um desses nomes) já o Vale era atravessado por muitas águas, que se juntavam no que viria a ser aquilo a que nós chamamos "rio", mas que, em verdade, é um ribeiro. Nasce a oeste do Vale, atravessa toda a vila, até desaguar no rio Maior, ou vala de Azambuja, também chamada de Asseca, ou seja, o rio Maior. 

Pois o nosso rio (que em diversos locais recebe nomes próprios - rio de cima, das patas, da quinta, dos loureiros, da praça ou da eloia, da cabine, da Mari Elvira, do Lima, das Guiomares... etc.,) é um fantástico património natural, histórico e cultural da nossa terra, desde tempos remotos: para a agricultura (nas hortas e não só) para as regas, para pesca da enguia (sobretudo) para abastecimento de água, para os patos nadarem, para a lavagem da roupa, para preparar os tremoços (o sr. João dos tremoços assim fazia) para as brincadeiras das crianças, para as azenhas-moinhos de água (ali existiram nove, nove moinhos...) fazerem o seu trabalho, para as crianças nadarem, para os valesantarenos repousarem nas suas margens, ou nelas conviverem e festejarem e... provavelmente outros benefícios que dele foram extraídos, e que agora não nos ocorrem.

LIMPAR E RECUPERAR O RIO DA QUINTA: POR QUÊ E PARA QUÊ?


O Movimento Ecologista do Vale de Santarém, continuando a defender a recuperação e boa manutenção do legado natural, histórico e cultural da nossa terra, colocou no seu plano de actividades, para 2017, o início da recuperação de antigos locais onde as mulheres do Vale lavavam a roupa. Esta iniciativa, proposta à junta de Freguesia e bem acolhida, vai acontecer, no terreno, logo que a Junta tenha o equipamento (nomeadamente uma máquina apropriada) para realizar esse trabalho, que vai começar pelo lugar do "rio da quinta". Trata-se de um local emblemático, cuja situação actual é de grande degradação, onde há uma proliferação de arbustos e árvores, à mistura com lixo, que dão ao espaço um aspecto desagradável, o completo oposto do que foi.

Desta iniciativa já foi dado conhecimento no início da caminhada que realizámos no dia 25 de Abril.

E que vamos fazer? Vai ser feita a limpeza, caiada a parede, recuperado o espaço em tempos destinado à lavagem de roupa, além de outras melhorias, de modo a que ali fique um 1º exemplo, para manter e consolidar, da recuperação desses locais. Será um contributo para uma mudança de imagem, para nós e os que nos visitam, dos cuidados que gostamos de ter, como habitantes, para que o Vale de Santarém continue a ser, também nos nossos tempos, a "pátria de rouxinóis e madressilvas" que Garrett imortalizou. E, assim, mais um contributo para que o Vale de Santarém seja um local bom para viver.

QUANDO VAI ACONTECER ESTA EMPREITADA?


O trabalho, a anunciar com tempo, está dependente da obtenção das condições que a Junta de Freguesia precisa para o efeito. Em princípio, será suficiente um fim de semana, desde que o plano para o trabalho esteja devidamente esquematizado, e assim vai ser. Serão necessárias colaborações e, os que estiverem interessados em participar, serão chamados a fazer inscrição para o efeito.

Assim, aqui fica a informação, desde já sugerindo uma ampla participação neste objectivo, que, afinal, interessa a todos os valesantarenos. Oxalá assim seja, para esta 1ª vez, no "rio da quinta", mas outros locais se seguirão.

Fotos abaixo, do "rio da Quinta" - uma de há décadas, e outra mais recente.

Vale de Santarém - Local chamado de "rio da quinta", junto às ruínas da
Quinta das Rebellas, no leito do ribeiro que,nascendo a oeste do Vale,
atravessa toda a vila e vai desaguar na vala, ou rio Maior, afluente do Tejo.
Nesta foto, com algumas dezenas de anos, lavadeiras do Vale de Santarém
e de um rancho de trabalhadoras sazonais, que vieram para o Vale.
Publicação em 5 Maio 2017.

Vale de Santarém - Local chamado de "rio da quinta", junto às ruínas da
Quinta das Rebellas, no leito do ribeiro que, nascendo a oeste do Vale,
atravessa a vila e vai desaguar na vala, 
ou rio Maior, afluente do Tejo.
Esta foto é de 2015. Neste local as mulheres do Vale lavavam a roupa.
O local, que agora se vai limpar e recuperar, tem estado em degradação.
Publicação em 5 Maio 2017.







5 comentários:

  1. Boa descrição do 'nosso' rio e bela foto de outros tempos, na qual só consegui reconhecer uma personagem, sem recordar o nome. O rio merece essa limpeza. Parabéns ao Movimento Ecologista - Vale de Santarém.

    ResponderEliminar
  2. Esta iniciativa esteve na nossa agenda para 2017, porém, por falta de equipamento apropriado, que estava previsto que viesse da Câmara Municipal de Santarém, transitou para 2018 e, em altura oportuna, será divulgada.

    ResponderEliminar